Ao (Des)Abrigo do Nome (4)

23.02.2015

seja o teu rosto
o brasão da casa,
a alegria, o mosto
na aflição, a asa

sejam os traços
do teu nome em fuga
o rebento, o laço
com o sol, a uva

dá à nossa vida
a graça de ser
no corpo em partida
tendas de acolher

e que ouçamos vir
o teu dia, o som
de paisagens verdes,
promessas do dom

JOSÉ AUGUSTO MOURÃO, OP, “o rosto e a casa”

______________________

“Ao (Des)Abrigo do Nome”: (1) · (2) · (3)